Páginas

BUSCA NO BLOG

domingo, 12 de novembro de 2017

FUNDO ELEITORAL TIRA R$ 70 MILHÕES DA SAÚDE EM 2018

gv
O fundo eleitoral de R$ 1,75 bilhão para custear campanhas com dinheiro público vai reduzir aplicação de verbas na saúde, ao contrário do que os parlamentares prometeram quando propuseram o novo gasto político como forma de financiar as campanhas eleitorais, como alternativa à proibição das doações eleitorais por empresas.
A destinação de parte das emendas parlamentares ao Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) pode retirar, em cálculos conservadores, R$ 70,3 milhões originalmente destinados a despesas com saúde. O levantamento feito pelo jornal “O Estado de S. Paulo” também contradiz manifestação da Advocacia Geral da União (AGU) assinada pelo presidente Michel Temer e enviada ao Supremo Tribunal Federal na última quinta-feira.
O orçamento de 2018 do Fundo Nacional de Saúde (FNS) perderá verbas que haviam sido previstas, no mês passado, por senadores e deputados de pelo menos três Estados: Ceará, Paraíba e Santa Catarina. O corte na saúde pode aumentar, a depender de como os parlamentares dos demais Estados decidirem sacrificar suas emendas para dar a contribuição obrigatória ao Fundo de Campanha A definição será feita nas próximas semanas na Comissão Mista de Orçamento (CMO). 
Tesoura
Paraíba. Parlamentares enviaram R$ 129 milhões para a saúde e R$ 33,4 milhões para a construção de uma adutora. Se retirassem toda a verba da obra para bancar campanhas, ainda teriam que remanejar mais R$ 15,3 milhões do Fundo Nacional de Saúde para cumprir a cota.
Santa Catarina. A bancada estabeleceu que R$ 42,4 milhões para a compra de equipamentos agrícolas. Se utilizassem toda essa verba para campanha, ainda faltariam R$ 6,3 milhões.
As informações são de O Tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário